sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Meus olhos estão fechados


Então eu inspiro e expiro.
Há anos isso não acontecia comigo.
Inspiro.
Minha mãe disse pra ficar calma, se não a situação piora.
Expiro.
Tenho medo de dormir, pois controlo minha respiração com a minha mente.Se eu dormir, o fluxo pode parar.
Expiro.
Meu corpo não consegue controlar sozinho a respiração pois quase não entra ar no nariz.
Inspiro.
Expiro.
Quero chorar, quero gritar, dizendo como me sinto mal e como sou inútil, imbecil e descuidada.
Inspiro.
Quero dizer que estou com medo de morrer, mas não quero desesperar mais minha mãe.
Expiro.
Inspiro.
Penso em como fui idiota em gastar lágrimas com futilidades.
Expiro.
Inspiro.
Expiro.Não preciso colocar a mão sobre o peito para sentir meu coração.Posso ouvir suas batidas fracas.
Inspiro.
Expiro.
Só por um momento, meu único desejo é voltar átras e não fazer nada que me causasse alergia.
Inspiro.
Fui uma menina má.
Expiro.
E agora fui condenada a passar a noite inteira - que me parece uma eternidade - aqui, acordada, inspirando e expirando.
Tentando me manter viva.
Inpiro.
Expiro.

2 afogaram seus delírios junto comigo:

kaio rafael disse...

eu já escrevi um texto nesse estilo.

o seu tá melhor que o meu.
você consegue nos prender na sua mente.
A jogada da respiração traz um quê de realidade daqueles impressionantes.

ficou muito, muito bom, Mari.

Melhorou muito desde a última vez que te li.
realmente.

Kim Sousa disse...

Mas a vida é isso...tentando se manter vivo... querendo ou não...

Adorei o texto, bem profundo... Saudades do seu blog... beijo...