sábado, 20 de março de 2010

Eterna Esperança.

Eu não tenho medo de morrer.

Eu não tenho medo da guerra.
Eu não tenho medo da perda.
Eu tenho medo de viver nessa eterna prisão.Medo de viver entre essas quatro paredes, que não deixam a luz do sol passar, só as risadas dos outros.Das pessoas felizes.
Eu tenho medo de viver para sempre nesse lugar, onde eu vou fazendo uns furinhos na parede, mas não o suficiente para escapar.
Eu tenho medo de crescer presa, de só poder ouvir histórias, nunca conta-las.
Mas sei que um dia vou conseguir.Vou cavar fundo esses buracos e vou escapar dessa prisão.
E, nesse dia, NADA vai ser capaz de me segurar.Nada vai ser capaz de impedir o vento de bater no meu rosto, enquanto minhas azas voam pela primeira vez.
Por enquanto, nada posso fazer.Só cavar cada vez mais nesses pequenos buracos, até um dia, poder fugir.
Mas eu tenho uma esperança e espero que ela nunca se apague.

2 afogaram seus delírios junto comigo:

Rosa Araújo disse...

Antes, eu dizia isso também.. Que não tinha medo de nada.. Hoje ainda digo, mas não com tanta convicção. Perdi quem mais amava e tenho medo de perder as outras pessoas que amo...
Enfim, admiro que ainda vive isso tudo.. Continua assim, que vc vai ser feliz sempre..
Bjus

mente inconstante disse...

ADOREI! :) Também sinto medo das grades... Nossa, me identificando muito com os teus textos! x)